Resenha: A Menina Que Roubava Livros

Nome: A Menina Que Roubava Livros (The Book Thief)
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 382    Ano: 2005     Nota: 5/5
Sinopse: Ao perceber que a pequena Liesel Meminger, uma ladra de livros, lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. A mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.




Olááááá queridos leitores <3 Como vocês estão? 

O livro de hoje é um clássico. Isso mesmo, um clássico. Liesel Meminger é nossa personagem principal. É a roubadora de livros. A história é narrada pela Morte, e é tão envolvente que você não quer mais parar de ler!


Morte encontra com Liesel em um trem, para buscar seu irmão. Ninguém no trem percebe que o irmão mais novo, Werner, já estava morto. Ninguém além de Liesel. No cemitério, ao enterrarem o seu irmão, Liesel acha um livro, o manual do coveiro. Ela e sua mãe voltam ao trem e continuam a viagem como se tudo tivesse acontecido. Na descida, Liesel se despede da mãe, e fica muito confusa... 


Ela logo conheceria seus pais de criação, pois eles esperavam-na. Hans Hubermann e Rosa Hubermann. Porém, ao chegar em sua nova casa, Liesel se recusa a sair do carro. Com o tempo, ela se acostuma com seus novos pais, que moravam em uma casa simples: com alguns cômodos, uma cozinha e um banheiro dividido com os vizinhos, um telhado plano e um porão baixo pra guardar as coisas. 


Resenhado por:
Lorena

6 comentários:

  1. adorei o post, eu ainda não li o livro, mas já assisti o filme é ótimo, beijocas..

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é muito lindo! Li faz um tempão, mas ficou marcado. Beijos e seguindo

    literalizza.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li esse livro, mas vou anota na minha lista. Adorei a resenha

    ResponderExcluir