Resenha: O Visconde Que Me Amava

Nome: O Visconde Que Me Amava (Os Bridgertons # 2)
Autor(a): Julia Quinn 
Editora: Arqueiro 
Ano: 2013      Páginas: 288    Nota: 4/5
Sinopse: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será

Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.

Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.


O Visconde Que Me Amava é o segundo livro da série Os Bridgertons que contará a história de Anthony e Kate.

O ano 1814 já começa agitado, e tudo por que Anthony Bridgerton resolveu que está na hora de se casar. Todas as moças solteiras tentam conquista-lo, mas ele acabar se interessando por Edwina, a beldade da temporada. Anthyony só não contava com um problema: Edwina afirma que só cassara com um homem que sua irmã aprove.

Então Anthony toma como missão agradar Kate, para que ela aprove o noivado, mas se Anthony pensou que seria fácil agrada-la ele está muito engano. Kate vai se mostrar uma pedra no sapato dele, e talvez passar tanto tempo com ela, poderá se transforma em uma verdadeira confusão.


Inteligente, divertida, independe essa é Kate. Moça de língua afiada, sempre com respostas prontas. Tem um gênio forte, o que muitas vezes afastas seus pretendes. Isso até pouco tempo para ela não importa, mas ver sua irmã receber tanta atenção provocará em Kate ciúmes. E tenta não gosta de Anthony se provará uma missão difícil para ela.

Inteligente, libertino, responsável esse é Anthony. Aos 18 anos teve que assumir toda a responsabilidade pela família, após a morte de seu pai. Esse acontecimento mexeu muito com a cabeça dele, tanto que ele procurar uma esposa que ele nunca possa amar, pois em sua cabeça ele acha que morrerá cedo, e não quer que sua esposa sofra com isso. Mas tenta agradar Kate poderá transforma-lo.

A narração é feita em terceira pessoa, e temos diálogos e brigas muito divertidas entre os personagens. E continuamos a nos diverti com as crônicas de Lady Whistledown. A capa está igual a anterior, mostrando Kate. A capa não ficou muito fiel a personagem, mas o contexto ficou incrível.

O Visconde Que Me Amava supero O Duque e Eu, Kate e Anthony são cômicos juntos, e as brigas para negar o inegável é a melhor parte. Desde do começo sentem atração um pelo outro, mas não dão o braço a torcer. Com diálogos e cenas bem construídas, faz o amor entre eles surgir de forma natural e não forçada. Amei também o epílogo do livro, anos depois com Kate e Anthony vencendo seus medos. Que venha Benedick <3

Resenhado por:
Barbara



1 comentários:

  1. Oi Babi,
    Eu não curto muito romances de época, geralmente eles não me atraem mas a escrita da Julia parece ser ótima e por isso eu abriria uma exceção para ler os livros dela. Adorei a resenha ♥

    ResponderExcluir