Resenha: O Código da Vinci, Dan Brown


Livro: O Código da Vinci
Autor: Dan Brown
Editora: Sextante
Nota: 5/5
Sinopse: Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton. Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso simbologista de Harvard, podem desvendar. 

Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeças que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica.
Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal. Mesclando com perfeição os ingredientes de uma envolvente história de suspense com informações sobre obras de arte, documentos e rituais secretos, Dan Brown consagrou-se como um dos autores mais brilhantes da atualidade. "O Código da Vinci" prende o leitor da primeira à última página.






A história do livro é bem mais complexa do que parece. Tudo começa quando um renomado curador (Jacques Saunière) é encontrado morto dentro da Grande Galeria, no museu do Louvre. Coincidentemente, Jacques é morto na mesma noite que tinha marcado de se encontrar com Robert Langdon (Personagem principal), o que torna ele o principal suspeito.

Essa é a segunda aventura de Robert Langdon, que é um famoso professor de simbologia de Harvard. A história envolve muito a Igreja Católica (assim como outras obras de Dan Brown), com várias teorias da conspiração. Temos também Sophie Neveu, que é agente do governo e ao longo da história tenta desvendar os mistérios da trama, além de ser neta de Jacques.

Robert é um homem de 40 e poucos anos que prefere alimentar seu intelecto do que sua vida amorosa, ele é um dos homens mais inteligentes do mundo, mas ao mesmo tempo tão ingênuo. Enquanto Sophie é uma mulher independente, que quando mais nova passou por um trauma que até hoje não tinha superado.

A narração é toda em terceira pessoa, sem deixar passar nem um detalhe. É detalhista e ao mesmo tempo empolgante. Quanto a capa do livro, existe uma ligação muito próxima ao livro, uma vez que Leonardo Da Vinci tem suas obras citadas várias vezes.
Eu gostei de O Código da Vinci porque o desenvolvimento dos personagens acompanha a história, porque tem muita relação com a realidade, misturando ciência e religião. Super recomendado!

P.s: estamos sem imagens porque tivemos num problema na hora do post.

Por: Lorena Rocha

3 comentários:

  1. Gostei muito da resenha! Realmente o livro é bem mais complexo do que se imagina e vale muito a pena ler... Parabéns pela resenha!!
    https://madminds.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Você pode conferir outras resenhas no blog. Bjos!

      Excluir
    2. Obrigada! Você pode conferir outras resenhas no blog. Bjos!

      Excluir